Este website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a sua utilização.

Videovigilância

28/02/2017 0 Comentários Noticias sobre Videovigilância,

Videovigilância

Tal como nos sistemas de alarme de intrusão, os sistemas de videovigilância também são obrigatórios em Bancos, Ourivesarias, Lojas de Ouro, Bombas de Gasolina, farmácias, bares e discotecas, ferro-velho, recintos desportivos, entre outros. No entanto pode e deve ser colocado em diversos outros estabelecimentos.

Existem diversas tecnologias dentro dos sistemas de videovigilância, a escolha depende dos factores: custo, qualidade, dimensionamento, e legislação (nos casos obrigatórios têm de ser com tecnologia digital IP).

Um sistema comum é composto por:

  • Gravador digital com capacidade de x câmaras e disco rígido com capacidade para gravar 30 dias do número de câmaras existentes. Poderão também poder ser ligados à internet para visualização remota.
  • Câmaras de videovigilância que poderão ser fixas, rotativas, com lentes varifocais, zoom, de exterior ou interior, com visão noturna, etc.
  • Fontes de alimentação, cabos, acessórios e adaptadores.

 

Os sistemas de videovigilância não podem servir para controlo de funcionários (excepto caixas registadoras, e outros), nem para controlarem locais públicos exteriores onde possam passar pessoas.

É obrigatória a colocação de sinalética própria no estabelecimento a indicar a existência de um sistema de videovigilância.

A colocação de um sistema de videovigilância implica a sua comunicar à CNPD, por parte do cliente, através de formulário próprio que pode ser preenchido no site:

https://www.cnpd.pt/bin/legal/forms_video.htm

Para além do pagamento de uma taxa de 150€ (valor único e independente do nº de câmaras existentes).

Etiquetas: video vigilancia

Comentário